Não menospreze as pequenas coisas | Kabbalah Centre Portugal

Não menospreze as pequenas coisas

Os Kabalistas explicam que em Beresheet, o primeiro Shabbat e a primeira leitura do ano, começamos a renovar o nosso trabalho e processo espirituais para o próximo ano. Portanto, gostaria de me concentrar num ensinamento que nos pode dar percepção e direção no início deste novo ano.


No sétimo dia de Sukkot, um dia que se designa por Hoshana Raba, pegamos em cinco ramos de salgueiro e batemos com ele no chão cinco vezes. É um ato muito confuso. Por que razão o fazemos e qual a origem do dia chamado Hoshana Raba? A Torah fala  sobre Sukkot, dizendo que o primeiro dia é de conexão, chamado Yom Tov, e que o oitavo dia , que se chama Shemini Atzeret, é também um dia de Yom Tov. No entanto, o sétimo dia de Sukkot na Torah não tem um significado especial...contudo fazemos muitas coisas especiais, não sendo o bater com o salgueiro a menos importante. De onde é que isso vem?
Ao discutir as origens desse ato, que o Ari explica ser um ato tremendo que revela grande Luz, o Talmude diz que vem dos Profetas- não diz especificamente de que profeta - apesar de não lhe ser feita nenhuma alusão na Torah. E eu li o que penso ser uma bela explicação deste ato, que também contém um ensinamento muito importante.


Como sabemos, existiam dois Templos. O Primeiro, construído pelo Rei Salomão, era uma bela estrutura física e uma poderosa estrutura espiritual. Quando o Rei Salomão inicialmente a dedicou, todos os que lá estavam viram não só a tremenda beleza desta estrutura física, mas também sentiram a presença da Luz do Criador. Depois, o primeiro Templo foi destruído e os Israelitas foram para o exílio. Quando alguns deles começaram a regressar à terra de Israel, a Jerusalém, não era um tempo muito feliz, e eles não tinham a certeza se deviam construir o Segundo Templo.


Nesse tempo, havia dois profetas de quem eu quero falar; um deles era Haggai e o outro era Zacarias. No livro de Haggai diz-se que o Criador apareceu a Haggai e disse-lhe para falar com  os líderes e o sumo sacerdote, dizendo-lhes que apesar de toda a gente pensar que agora não era a altura de construir o Segundo Templo, deveriam começar. Então Haggai, com a profecia do Criador, desperta os líderes e as pessoas para ficarem um pouco entusiasmados com a construção do Segundo Templo.


Quando olhamos para a História, podemos pensar que naquela altura toda a gente estava feliz; o Segundo Templo foi construído e era tão belo! Mas não foi o que aconteceu. As pessoas sentiram sérias  reservas acerca da necessidade, ou do direito, de se construir o Segundo Templo. No entanto, o Criador foi ter com Haggai e, através dele, diz aos Israelitas: "Deviam saber que apesar de não parecer, Eu, o Criador, sou parte desta construção.." Então, eles construíram grande parte do Segundo Templo. Fisicamente não era tão bonito como o Primeiro Templo e para as pessoas que tinham vivido a experiência do Primeiro Templo, não parecia que estivesse sequer próximo da quantidade de Luz revelada no Primeiro Templo.

 

Então Haggai conseguiu entusiasmá-los, dizendo: "Este Segundo Templo que vamos construir será ainda maior do que o Primeiro Templo. Vamos sentir a Luz do Criador ainda mais. E aqueles de nós que se lembram do Primeiro Templo vão senti-lo de uma forma ainda maior." Mas não foi isso que aconteceu. O povo escutou a profecia de Haggai e entusiasmou-se, investindo tempo, esforço e dinheiro, e construíram o Segundo Templo. E fisicamente ele não era tão bonito ou espiritualmente inspirador. No Segundo Templo, não existia a percepção da Luz do Criador como no Primeiro Templo; pode-se imaginar o estado de confusão, tristeza e desapontamento que as pessoas sentiam à medida que terminavam o Segundo Templo.

 

E então uma profecia muito importante vem a Haggai no dia em que nos conectamos à designada Hashana Raba.  É a única altura, em toda a Torah e nos Profetas, em que encontramos a ocorrência, neste dia, de um ato significativo. O Criador diz-lhes, através de Haggai, que havia muitos que tinham experenciado o Primeiro Templo e a sua grandeza física e elevação espiritual, mas à medida que viam e experenciavam este Segundo Templo, era como se nada fosse, porque se lembravam de como era o Primeiro Templo. Mas o Criador, nessa altura, está a dizer, através de Haggai, que eles não estão a ver bem a questão.


O Criador diz aos Israelitas, através de Haggai: "Vocês não têm noção do que realmente aconteceu. A experiência pode não ter sido a mesma para vós, a estrutura física pode não ser a mesma para vós, mas prometo-vos que o que podem fazer e a Luz que podem revelar através do Segundo Templo será maior do que a Luz revelada no Primeiro Templo. O trabalho que vão realizar no Segundo Templo acordará o mundo inteiro; acordará os céus e a terra e toda a existência deste mundo. Podem não sentir nem vos parecer, mas prometo que a Luz revelada deste Segundo Templo será maior do que a Luz revelada pelo Primeiro Templo."


E este ensinamento é revelado numa frase do profeta Zacarias. Ele diz: "Qual de vós é suficientemente tolo para desprezar as pequenas coisas?" Ou seja, muitos de nós, talvez porque não temos noção da tremenda Luz que existe em nós, por vezes acordamos de manhã e não nos sentimos inspirados ou entusiasmados, e fazemos alguns atos de partilha ou de conexão. Mas na nossa mente pensamos que o que estamos a fazer hoje não é tanto assim, e que amanhã vamos acordar e sentir-nos entusiasmados ou inspirados, e que os atos de partilha, de conexão e revelação da Luz que então fizermos serão espantosos. Esse é o Primeiro Templo; este representa o entusiasmo e a grandeza física e espiritual.


Mas o Criador diz aos Israelitas através de Haggai: "Não entendem. Vocês não percebem. As pequenas ações nos dias pequenos, as ações neste Templo mais pequeno, estão a criar uma tremenda quantidade de Luz nos mundos superiores e inferiores." Portanto, o ruído que o bater dos salgueiros faz em Hoshana Raba é porque Haggai, de vez em quando, nos diz: "Não se deixem enganar pela vossa pequena existência. Não se deixem enganar pelas vossas pequenas ações, tal como não nos devemos deixar enganar no Templo mais pequeno e na menor experiência de conexão espiritual." O Criador diz aos Israelitas nessa altura, e agora a nós, que a Luz revelada no Segundo Templo, que a maioria das pessoas sente como menor, na realidade foi maior.


E muitas vezes penso que o que acontece após Rosh Hashanah, Yom Kippur e Sukkot após todo esse tempo e esforço, é que estamos cansados. Então vimos para o primeiro Shabbat do ano, Beresheet e tentamos fazer uma conexão, mas estamos como que esgotados e, portanto, não nos sentimos tão conectados porque fizemos muito e agora chegamos cansados ao primeiro Shabbat do ano.
Um dos mais importantes entendimentos que queremos trazer para este novo ano neste primeiro Shabbat é não cometermos o mesmo erro dos Israelitas no Segundo Templo, e para recordarmos a profecia de Haggai e de Zacarias: é muito tolo e é fruto da falta de clareza e compreensão menosprezar os dias das pequenas ações e pequenas conexões. Porque se apreciássemos a tremenda Luz que existe em nós, saberíamos que até nas pequenas ações que realizamos e nos dias mais pequenos que vivemos, a Luz revelada está muito para além do que possamos imaginar.


Portanto, à medida que iniciamos esta nova jornada espiritual neste novo ano, queremos recordar-nos sempre de não menosprezarmos nem depreciarmos as nossas pequenas ações ou pequenas conexões; podemos não ver ou sentir no momento, mas a quantidade de Luz que vem dos dias e atos pequenos, devido à tremenda Luz que existe em nós, está muito para além do que possamos imaginar.

Se pudermos manter esta clareza, não existe um dia pequeno ou pequeno ato. Até as ações mais pequenas que fazemos, devido à tremenda Luz que existe em nós, tal como diz o Criador, cria uma Luz tremenda  nos mundos superior e inferior. Sabendo isto, e tendo clareza acerca disto, torna muito maior a Luz revelada.