Romper as limitações que rodeiam as nossas bênçãos | Kabbalah Centre Portugal

Romper as limitações que rodeiam as nossas bênçãos

O início da porção Ki Tisa fala sobre a grande Luz que foi revelada através da construção do Mishka, o Tabernáculo. Ao explicar o tipo de Luz que foi revelada, os Kabalistas citam um verso de Provérbios que diz que a doação de uma pessoa - ou o seu despertar ou desejo de dar e partilhar - abrirá as limitações para essa pessoa.

 

No cerne desse versículo e ensinamento está o conceito a que Rav Ashlag chama de devekut, que é também do que se trata a sabedoria da Kabbalah: o apego da nossa alma à Luz do Criador e o sentimento desse apego, que está além do físico. Os benefícios dessa unificação, da aproximação de nossa alma à Luz do Criador, são tais que, se realmente estamos a focar o nosso trabalho e consciência em unir, num maior grau, a nossa alma à Luz do Criador, se abrem todas as limitações e bloqueios que existem nas nossas vidas.

 

Mas, como é que tornamos este conceito de devekut um pouco mais prático? Existe uma ferramenta simples que todos podemos começar a usar. Rav Ashlag explica que qualquer dor, falta, escuridão ou tristeza por que passamos têm apenas uma causa: a distância ou a separação da nossa alma da Luz do Criador. Podemos pensar que isso é causado por alguém que nos está a fazer alguma coisa, ou por alguma ocorrência na nossa vida, mas isso não é verdade. A verdadeira fonte é apenas uma  -  a nossa alma está distante. E na medida em que estiver distante e separada da Luz do Criador, é na medida em que a tristeza, a escuridão e a carência se manifestarão em nossas vidas.

 

Portanto, Rav Ashlag  diz-nos que a ferramenta que podemos usar quando estamos em momentos de tristeza ou escuridão é parar e, em vez de simplesmente nos deixarmos ir, dizermos a nós mesmos: "Eu sei porque é que isto está a acontecer. Eu sei porque é que estou a viver esta escuridão e tristeza. É porque a minha alma não está unida como deveria à Luz do Criador". E esse pensamento, por si só, começa o processo de reintegração e criação de proximidade à Luz do Criador. Compreender que a razão porque a nossa alma  veio a este mundo foi para se unir completamente à Luz do Criador, na verdade torna o conceito de devekut muito mais prático, e não apenas um conceito espiritual elevado.

 

Os Kabalistas dizem que quando uma pessoa desperta o desejo da sua alma de se reconectar e se religar à Luz do Criador, ela rompe as limitações do seu desejo espiritual, e então todos as outras suas limitações ficam quebradas. Aprendemos que a vida é criada quando uma pessoa nasce. Todas as bênçãos potenciais, todo o crescimento potencial, tudo o que potencialmente se manifestará na vida dessa pessoa é configurado, tal como acontece em Rosh Hashanah. Mas, e se quisermos mais do que isso? E se quisermos quebrar as limitações que foram construídos para nós? A única forma de quebrar as limitações às bênçãos criadas é quebrar as limitações do nosso próprio desejo espiritual.

 

Acredito que a maioria das pessoas sente um desejo de se conectar à Luz do Criador na sua forma mais pura. Sim, às vezes também pensamos no benefício em bênçãos que daí poderíamos tirar, mas, na sua forma mais pura, todos nós temos um certo desejo de devekut , de unificação com a Luz do Criador. E se isso permanecer constante, então os limites em torno das nossas bênçãos também permanecerão constantes. Podemos receber bênçãos, mas até um certo limite. Porque se o nosso desejo pela Luz do Criador permanecer limitado, as limitações para recebermos bênçãos continuam também limitadas. Mas se conseguirmos despertar um maior grau de desejo da nossa alma de se conectar com a Luz do Criador, então também são quebradas as limitações das bênçãos que temos.

 

O despertar de um maior desejo de conexão com a Luz do Criador quebra as limitações em torno das nossas bênçãos;  então, os Kabalistas ensinam que uma pessoa se pode conectar ao nível onde as bênçãos são ilimitadas. O rei David diz em Salmos, quando fala sobre as bênçãos que ele deseja despertar: "A minha taça transborda com as bênçãos. Isso quebra os limites da taça. "E nós, também, podemos e estamos destinados a realmente conseguir quebrar as limitações que cercam as nossas as bênçãos. Mas há apenas uma maneira de o fazer:  romper as limitações do nosso desejo espiritual.

 

Portanto, todos nos devemos interrogar: o meu desejo cresceu? É constante? Se for constante, então as limitações em torno das nossas bênçãos também serão constantes. E embora a maioria de nós não se tenha constantemente esforçado para quebrar as limitações do nosso desejo espiritual de unificação completa com a Luz do Criador, simplesmente entendendo que a forma de quebrar as limitações em torno de nossas bênçãos é ter desejo por isso, o processo começa.

 

Se queremos que um bloqueio seja removido e que uma bênção seja ilimitada, temos que quebrar as limitações do nosso desejo espiritual. Se o nosso desejo espiritual é o mesmo de semana para semana, mês para mês, e de ano para ano, então também as bênçãos continuarão a ser iguais no seu estado limitado. Portanto, devemos usar a ferramenta de que fala Rav Ashlag e termos a clareza de que, sempre que sentimos tristeza, escuridão ou dor, precisamos de parar e dizer: "Eu sei que há apenas uma razão pela qual estou a viver isto. Porque a conexão da minha alma com a Luz do Criador é limitada, e eu quero que ela se torne ilimitada. Quero quebrar os limites do meu desejo espiritual. Preciso de encontrar novas formas de despertar maior desejo. "
É uma das oportunidades disponíveis para nós no Shabat Ki Tisa . E, é claro, queremos que não seja apenas para este Shabat, mas ter sempre esta compreensão e consciência ao longo de nossas vidas, para que possamos despertar o devekut, a unificação da nossa alma com a Luz do Criador, rompendo assim as limitações e infundindo bênçãos ilimitadas nas nossas vidas.