Toda a negatividade tem de nos deixar | Kabbalah Centre Portugal

Toda a negatividade tem de nos deixar

ALL NEGATIVITY MUST LET GO OF USO Zohar fala de uma ideia muito simples que pode ajudar a elevar a nossa consciência ao longo de Pesach, para que possamos receber as incríveis dádivas disponíveis durante esse período. Há algo chamado Shlosha Regalim , que são os três principais conexões ou feriados do ano; Pesach, claro, é um deles, juntamente com Shavuot e Sukkot. Ao longo do ano, a Luz do Criador é ocultada e, apesar de fazermos o trabalho espiritual e de lutarmos para nos conectarmos com essa Luz, há altos e baixos, há momentos de conexão e momentos de desconexão. Contudo, os Kabalistas explicam no Zohar, em Emor que, durante estes três ocasiões, a Luz do Criador se revela completamente, sem qualquer barreira ou impedimento.

 

Portanto, o que começa a acontecer em Pesach é, literalmente, uma revelação da Luz do Criador. Além disso, cada aspecto da negatividade que existe ou venha a manifestar-se nas nossas vidas pode ser removido em Pesach. Os Kabalistas explicam, e o Ari afirma repetidamente que, ao longo do ano, sim, podemos fazer conexões e atrair a Luz, mas há sempre forças negativas à nossa volta; podemos atrair um pouco de Luz, podemos depois perder um pouco de Luz, e podemos ser dominados pelo Lado Negativo.

 

Não há garantias de que a Luz seja revelada durante o resto do ano, mas Pesach é diferente, porque a Luz do Criador entra com uma força tão completa que, se a recebermos, nada de natureza negativa pode permanecer em nós. É por isso que embora os Israelitas estivessem, espiritual e fisicamente, no estado mais baixo possível, os Egípcios tinham que os deixar partir porque a Luz revelada era tão poderosa e completa que era esmagadora para todas as forças de negatividade. Portanto, Pesach é a única época do ano em que o Lado Negativo deve - quer queira ou não, mereçamos ou não - ir embora. Já não pode permanecer em nós.


Rav Brandwein, ao falar com o meu pai, Rav Berg, sobre o poder deste dia, diz que durante o resto do ano há quase como que uma discussão entre a Luz do Criador e a Sitra Achrah, o Lado Negativo. É como se a Luz do Criador dissesse ao Lado Negativo: “Não! Essa pessoa deve ter Luz, bênçãos, saúde, felicidade e força, porque está conectada a Mim ”, enquanto o Sitra Achrah diz: "Não, não, elas são minhas! Elas merecem ter trevas, dor e doenças." Ao longo do resto do ano há aquela batalha que, infelizmente, todos nós experimentamos. Há momentos em que somos inundados pelas bênçãos que nos são dadas pelo Criador, e há momentos em que somos subjugados pelas trevas que nos são impostas pelo Lado Negativo.


No entanto, Pesach é diferente. O que acontece em Pesach, diz Rav Brandwein a Rav Berg, é que o Criador diz ao Lado Negativo: "Deixa-os partir. Remove todo o teu controlo sobre cada pessoa que se deseje conectar em Pesach." O poder e a beleza deste dia é que é a única época do ano em que, se nos conetarmos completamente com a sua energia, o Lado Negativo tem que ir embora. Foi esta a Luz que permitiu que os Israelitas saíssem do Egito, e é a Luz que está disponível para nós em Pesach.

 

Embora seja verdade que cada pessoa se conecta num nível diferente, agora compreendemos que, se nos conectarmos com essa consciência em Pesach, recebemos a dádiva gratuito deste dia: a avassaladora e revelada Luz do Criador, que não permite que nenhuma força negativa permaneça em nós. Portanto, podemos deixar Pesach sem o Lado Negativo a controlar-nos. Neste dia, Ele tem de nos abandonar.


Então, é aí que começamos. Independentemente da ligação ao Lado Negativo que tivemos ao chegarmos a Pesach, se nos conectarmos à bênção disponível para nós durante este tempo, podemos deixar Pesach removidos do toque do Sitra Achrah … ou se não completamente removidos, pelo menos muito mais livres dele. Como estamos m simultâneo a fazer as nossas conexões e a ouvir a Torah durante Pesach, precisamos simplesmente de ter esta consciência de que a Luz está a fluir, é tremenda, e que enquanto Ela continuar a fluir para dentro de nós, o Lado Negativo tem que começar a abandonar-nos.


Há traços do Lado Negativo agarrados a nós dos quais nem estamos cientes. Mas se tivermos a conexão deste dia, então mesmo aqueles aspetos do lado negativo devem deixar-nos. À medida que ouvimos a Torah e fazemos todas as nossas conexões em Pesach, temos de saber que a Luz se está a derramar, e podemos pensar nesses aspetos do Lado Negativo - esses que conhecemos mas, mais importante, aqueles que não conhecemos - sabendo que a tremenda Luz do Criador está a forçá-los a abandonar-nos.