Unindo o Yud Hei com o Vav Hei | Kabbalah Centre Portugal

Unindo o Yud Hei com o Vav Hei

A porção Bo começa com a Criador a dizer a Moisés “Vem ao Faraó”. Gramaticalmente, como sublinham o Zohar e os Kabbalistas, a palavra deveria ser “vai”, tipo “Vai ao Faraó”, só que bo significa “vem”, como se houvesse um lugar mais alto onde o Faraó estivesse e onde Moisés tivesse que chegar, ou como uma indicação de onde Moisés teria que ir para poder lidar com essa força de negatividade chamada Faraó.

Então, porque é usada a palavra “vem” em vez de “vai”?

 

Existem duas partes da nossa vida que são representadas pelo Tetragramatom, o Nome de Deus de quatro letras: o Yud Hei representa os níveis superiores, e o Vav Hei representa os níveis inferiores. E embora o Yud Hei, por exemplo, represente os momentos em que nos encontramos no reino superior, espiritual, quando fazemos as nossas conexões, estudando, rezando, é na verdade muito mais difícil manter a conexão com a Luz quando estamos a fazer coisas do domínio da fisicalidade deste mundo.

 

O motivo pelo qual existe ainda tanta escuridão nas nossas vidas, e globalmente, é porque não existe Luz emanando do Vav Hei, da parte mais baixa, nos momentos em que estamos a trabalhar ou envolvidos com o mundo físico. E porque a Luz não permeia essa parte da vida, a Redenção ainda não aconteceu. É algo muito importante isto que os kabbalistas ensinam: a Redenção não ocorreu ainda, não porque não existam suficientes pessoas a estudar, a orar e a fazer o seu trabalho espiritual, mas porque não há pessoas suficientes envolvidas na parte mais baixa deste mundo e das nossas vidas, a que se chama o Vav Hei. Não existe suficiente Luz injetada na consciência e no trabalho que é feio aí.

 

A parte que está a travar tanto a nossa redenção quanto a redenção global não é o trabalho espiritual, é a porção física das nossas vidas que não está a ser suficientemente infundida com a Luz do Criador. Antes da Correção Final, antes que a dor e o sofrimento possam ser removidos do nosso mundo, tem que haver a unificação entre o Yud Hei e o Vav Hei, entre o espiritual e o físico. E isto não significa que é preciso mais trabalho espiritual, mais orações e estudo – apesar de ser importante –, o que temos de fazer é infundir o Vav Hei, o trabalho físico e a parte das nossas vidas, com a Luz do Criador. Então sim, haverá a unificação do Yud Hei com o Vav Hei.

 

Os kabbalistas explicam, então, que este é o segredo pelo qual é dito bo, “vem”, no início da porção. Quando o Criador fala com Moisés e lhe diz “Vem ao Faraó”, ele quer dizer vem à fisicalidade deste mundo, às pessoas que estão a trabalhar, que estão a fazer coisas físicas do mundo, porque o Vav Hei de baixo, a parte inferior das nossas vidas, tem que ser infundida com o Yud Hei, com o nível espiritual. E quando o Yud Hei e o Vav Hei puderem ser unificados, a Redenção pode acontecer.

 

É importante ficarmos cientes disto, porque mesmo aqueles de entre nós que fazemos o nosso trabalho espiritual não o estamos a conectar suficientemente com o Vav Hei, com o trabalho da fisicalidade deste mundo. Se uma pessoa está mais ligada à Luz quando está a rezar ou a estudar do que quando está a trabalhar, tal significa que está a separar o Yud Hei, o Mundo Superior, do Vav Hei, o mundo físico. Mas a Redenção pode e vai acontecer apenas quando o Vav Hei, a fisicalidade deste mundo, se elevar também.

 

O propósito da vida é infundir as partes físicas da existência, as partes físicas deste mundo, com uma constante consciência da Luz do Criador. Por isso, quando nos envolvemos no mundo físico, temos que nos tornar cientes da nossa conexão com a Luz do Criador, e injetar essa luz e consciência nas coisas físicas que estamos a fazer. É um entendimento altamente importante e a única forma de unificar o Yud Hei com o Vav Hei, para trazer a redenção.

 

por Michael Berg