Aos olhos do Criador | Kabbalah Centre Portugal

Aos olhos do Criador

Vedere con gli occhi del creatoreAprendi muitas lições na minha vida.

Mas a mais importante é a de não dar demasiada energia a um momento único, pois trata-se de apenas um capítulo, não do livro por inteiro.
A maioria de nós vê a vida em pequenas partes. Não é fácil de abstrair-se do momento presente e ver a imagem duma perspetiva maior. Mas é uma maneira maravilhosa de adquirir sabedoria. Este foi também o teste de José. Na porção da bíblia da semana passada vimos José em grande desespero, enquanto era vendido como escravo. Esta semana José sente-se exaltado quando é retirado da prisão para se tornar o conselheiro-mor do faraó. Em Miketz, vemos José a elevar-se da escravidão para a realeza. Num momento existe a dificuldade e estamos no fundo do lixo, no próximo as coisas estão bem e então estamos felizes. É assim tecida a teia das emoções humanas, com os nossos altos e baixos.


José passou dez anos na prisão por um crime que não cometeu e mais dois anos adicionais porque ele perdeu a certeza que a Luz Divina era a fonte da sua libertação - não o faraó (que era o recipiente). No final, foi difícil para José conceber que a sua prisão era uma bênção. Contudo, era exatamente do que se tratava. Os anos de prisão tornaram José no recipiente, veículo que ele nasceu para ser, para estar ao serviço do mundo. Primeiro, foi necessário ele passar por uma limpeza; José pode ter sido inocente do crime de que foi acusado e que o levou a ser encarcerado, mas ele foi culpado de causar uma rivalidade entre ele e os irmãos. Para além disso, estes anos providenciaram uma solidão necessária para José se descobrir e elevar para um nível espiritual novo. Por causa da escuridão que experienciou, José passaria a ter sempre, e para sempre, um intenso apreço pela Luz.


O que esta porção nos vem ensinar é que o “momento” é da nossa perspetiva humana, mas a perspetiva do Criador é a história completa.
Pensamos que as coisas estão bem em dado momento e mal noutro, sem saber que as coisas nunca estão “bem” nem “mal”, mas simplesmente em curso para a elevação para a Luz. Vemos pegadas no chão, mas o Criador vê o caminho todo, e é um caminho que nos leva para a Luz.


Não é coincidência que esta semana seja também o início da época das festas, um tempo de milagres, e da lua nova em Capricórnio. Uma das melhores maneiras de atrair milagres é  reconhecer que tudo é milagre: O Sol que nasceu a leste esta manhã, o sopro de vida que recebemos mais um dia, o branco puro de neve que caiu ou o verde da erva que se move ao vento, ter alguém que realmente tem carinho por nós, os bons tempos em que vivemos e sim, mesmo os momentos em que não são fáceis para crescermos, são tudo milagres. Tudo parte da criação divina na qual embebemos a nossa alma com Luz divina.
A energia de Miketz combinada com a energia da lua nova e o feriado de Chanukah, ajudam-nos a ver como milagres não só as bênçãos da nossa vida, mas também os desafios.


Tal como José, é nos nossos momentos mais escuros que expandimos a nossa capacidade espiritual.  É com esta consciência que conseguimos distanciar-nos do momento e ver o panorama maior, e um dia, o panorama completo. Podemos começar a ver como tudo o que acontece, independentemente de como o percebamos inicialmente é, de facto para o bem maior.


Da perspetiva de Deus não há escuridão. Só há Luz.

 

por Karen Berg