Conectando-se com a força por trás da Criação | Kabbalah Centre Portugal

Conectando-se com a força por trás da Criação

Na porção Pekudei encontra-se o edifício final e a reunião de todas as peças do Mishkan, o Tabernáculo, o lugar de descanso para a Luz do Criador no deserto. O Midrash diz-nos que o trabalho de Moisés e Bezalel, o principal arquiteto que construiu o Tabernáculo, espelhou a criação do mundo. Bezalel - afirma - sabia a combinação de letras, o nome de Deus, com a qual o Criador criou este mundo e foi capaz de usá-lo.

 

O que significa esta afirmação e, mais importante, o que vamos receber dela? Há dois aspectos principais para o estudo da Kabbalah. Há a parte que nos dá a orientação de como crescer e mudar para que possamos conectar-nos com o Criador e receber mais dessa Luz e bênçãos na nossa vida, e há a outra parte, que são as ferramentas. As ferramentas são as combinações de letras que compõem os Nomes de Deus, e as suas diferentes meditações. Esse aspecto é tão importante quanto o outro para o nosso crescimento, porque não importa o quão poderosos podemos ser para realizar a nossa própria transformação, sem estas ferramentas é muito difícil conseguir o verdadeiro crescimento e conexão para os quais viemos a este mundo.



Há, relacionada a isto, uma seção do Zohar que ouvi e li inúmeras vezes, mas que só ficou realmente dentro de mim quando ouvi o meu pai, Rav Berg, citá-la durante  uma viagem a Israel, há cerca de 25 anos.

É assim: “A Luz do Criador está perto de todos aqueles que chamam e pedem a Sua ajuda, de todos aqueles que chamam com verdade”. O Zohar parece estar a dizer aqui que nem todos os que rezam receberão a resposta ou a Luz, que só aqueles que chamam com verdade irão obtê-la. Então, o que significa chamar com verdade?  Muitas vezes, quando precisamos de coisas e queremos conectar-nos com o Criador para receber Luz e bênçãos, não sentimos que a Luz venha até nós. O Rav disse que o Zohar nos diz o porquê: a razão por que não vem até nós é porque precisamos de ter o conhecimento destes condutos da Luz, e de chamar com o nome certo. Se não tivermos conhecimento dos Nomes corretos, ou não os utilizarmos corretamente, será muito difícil obter a Luz de que precisamos e pedimos.

 

Há, no entanto, aqueles que sabem os Nomes certos a usar, a canalização certa para obter a Luz; Bezalel era uma dessas pessoas, e quero centrar-me no Nome com que ele se conectou. Quando conseguimos compreender o poder deste Nome e começamos a usá-lo, deveremos poder ser elevados para receber a Luz do Criador e conectarmo-nos mais com esta.

Para explicar o nome que ele usou, quero compartilhar uma seção do Zohar Chadash. O Zohar Chadash, ou o Novo Zohar, foi descoberto depois do que conhecemos como o Zohar regular. É ainda uma parte dos mesmos ensinamentos do Rav Shimon bar Yochai, mas foi encontrado mais tarde e impresso separadamente.

 

Diz-se em Beresheet, como sabemos, que no início o Criador criou os céus e a terra. Em hebreu, “os céus e a terra” é et hashamayim ve´et ha´arets. E Rav Shimon diz que a primeira letra de cada uma dessas quatro palavras, Aleph Hey Vav Hey, compõem o nome que é a força que anima toda a criação como a conhecemos hoje. E esse é o nome usado por Bezalel. Este nome não é tão comum quanto os outros que conhecemos, como o Tetragrammaton Yud Kei Vav Kei, por exemplo, mas Rav Shimon diz-nos aqui que é um dos mais importantes a saber. Quando ele diz “saber”, significa usá-lo e conectar-se à sua essência. Porque é o Aleph Hey Vav Hey tão importante, pergunta Rav Shimon? Porque este nome, constituído por estes quatro canais de Luz, é a força eterna e a energia que permite que os céus, a terra e a natureza cresçam, se desenvolvam e continuem.



Então Rav Shimon revela algo muito interessante. Diz no Zohar e no Talmude que cada coisa neste mundo que cresce, mesmo uma folha de erva, tem o que é chamado de anjo por cima dela, incitando-a, dizendo: “Tens de crescer e mudar”. Cada coisa neste mundo que cresce, os seres humanos também, fazem-no beneficiando deste anjo. Este não é um anjo como tendemos a imaginar, como uma forma com asas; em vez disso, é este nome, o Aleph Hey Vav Hey. É a Luz e a energia que flui através desta combinação de letras que é chamada de anjo e permite não só à vegetação crescer, mas também a cada um de nós. Portanto, Rav Shimon diz-nos que quando se diz no Talmude que não há nenhuma folha de erva que cresça sem um anjo a dizer-lhe para crescer, está a referir-se a este Nome, à energia nas letras Aleph Hey Vav Hey.

 

Quando entendemos isso, podemos começar a perceber que para aqueles de nós que querem crescer e ser preenchidos com a força que criou a eternidade no seio da natureza, o farão através da combinação destas letras. Como tal, começamos a apreciar o poder de estar ligados ao Aleph Hey Vav Hey, a força por trás da criação.

 

É realmente a força, como diz o Zohar, que conecta a Luz do Criador e os mundos subtis a este mundo físico. Qualquer falta de desejo de crescimento, ou a falta de crescimento em si, que exista neste mundo é de alguma forma uma falta de conexão com este Nome.



No Shabbat Pekudei, temos a incrível oportunidade de despertar o nosso desejo e capacidade de usar o Aleph Hey Vav Hey, e de nos conectarmos com a força por trás da criação, como Bezalel fez na criação do Tabernáculo.