Construindo o coração | Kabbalah Centre Portugal

Construindo o coração

Dizem que uma casa não é um lar até que tenhamos alguém com quem a partilhar. Uma casa é apenas paredes. Só quando lhe adicionamos os nossos corações ela pode ser um verdadeiro lar. Viemos a este mundo sem nada. Nascemos como uma folha em branco. Cabe a cada um de nós construir uma vida e, com sorte, deixar um legado com a nossa boa vontade. Alguns podem escolher uma vida em que saltam de um prazer para o prazer seguinte. Outros escolhem construir uma vida de serviço aos outros e ao mundo, o que no final traz a verdadeira satisfação.

 

Esta semana, aprendemos a transformar as nossas casas espirituais no nosso lar espiritual. Somos inspirados a dar a mão aos outros, permitindo assim que a energia positiva flua nas nossas próprias vidas. O Universo convida-nos a abrir os nossos corações e a criar uma vida positiva através das nossas próprias ações, amor e boa vontade. Esta semana iniciamos o processo de nos tornarmos verdadeiros canais de Luz, permitindo-nos recebermos a infindável alegria e felicidade que são o nosso verdadeiro destino.


A porção bíblica desta semana é chamada Terumah. Terumah significa “caridade”. Após ter dado aos Israelitas as diretrizes espirituais, o Criador pede-lhes agora que as comecem a pôr em prática. O Criador pede aos Israelitas que comecem o processo de criar o recetor espiritual que abrigue a nova consciência que receberam.


A porção começa com o Criador a dizer “Diz aos Israelitas que me tragam uma contribuição”. Espiritualmente, o Criador está a pedir aos Israelitas que comecem o processo de construção do recetor interno que lhes permita receber a totalidade da Sua Luz. No nível físico, Ele está a pedir-lhes que contribuam para a construção do Tabernáculo, uma habitação física com vários componentes, desenhada para ser a morada da Luz do Criador. No entanto, é este mesmo processo de contribuir para a construção deste tabernáculo que vai construir a sua capacidade interna de receber Luz, alegria e satisfação.
O Tabernáculo albergou as Tábuas, as manifestações físicas da Luz que o Criador enviou no Monte Sinai. Era composto por cortinas, paredes, pátios, cadeiras, candelabros, madeiras, ouro, bronze e prata. Era uma estrutura elaborada, linda, espiritual, onde os Israelitas eram capazes de atrair a força vital do Criador. O Criador sabia que a enorme quantidade de Luz que eles estavam prestes a receber precisava de um recetor para a conter. Ele sabia que era essencial para os Israelitas contribuir para o processo de construção do Tabernáculo e, simultaneamente, construírem o seu próprio recetor interno. A cada contribuição que faziam, eram capazes de receber mais energia. Em cada situação em que eles escolhiam dar, a energia do Criador enchia as suas presenças. Contribuir, ou dar, é a única forma de consistentemente manter a Luz do Criador e manter energia positiva nas nossas vidas. Porque as bênçãos apenas podem morar onde houver espaço para elas. Criamos este espaço quando contribuímos para a vida dos outros. Desta forma, construímos as nossas vidas de modo a recebermos tudo aquilo que é nosso por direito de nascença.


Com muita frequência, não conseguimos ver o paradoxo inerente. De molde a recebermos, nós não podemos simplesmente agarrar. Tirar apenas nos deixará com um sentimento de insatisfação, pois dentro de nós existe uma centelha do Criador que nos foi outorgada para que possamos desenvolver. O paradoxo na vida é que, quando damos estamos na verdade a receber.
Esta semana, começa a Lua Nova de Peixes, trazendo com ela a mais elevada e espiritualmente avançada Luz do ano inteiro. Como revelamos nós essa Luz? Sem um recetor para ela, a Luz perde-se. Da mesma forma que a terra cintila no espaço, também nós podemos cintilar na vida. Se a terra não repelir a energia do sol, a luz pura e simplesmente perde-se na negritude do espaço. É do nosso melhor interesse criarmos uma vida de serviço aos outros, não a gastando a pensar apenas sobre as nossas próprias necessidades, mas sim pensando nas necessidades dos outros. Este serviço aos outros é a contribuição que construirá o recetáculo para a Luz do Criador.


A ferramenta espiritual da contribuição não podia vir numa altura mais importante, dado que estamos prestes a entrar numa janela de 60 dias de tremenda Luz espiritual. Vamos entrar num mês duplo de Peixes. Peixes é o auge de toda a Luz espiritual do ano todo. Terumah chega para nos ensinar a receber esta Luz e a ser elevados no processo. A Luz está sempre a abrir caminho nas nossas vidas, para que possamos crescer e ser felizes. Ao abrirmos os nossos corações e começarmos a pensar nas necessidades dos outros, construímos o nosso Tabernáculo interior, criando assim a vida de alegria e felicidade que é suposto vivermos.


Nas suas meditações, esta semana, construa o seu recetor interno. Veja que quanto mais der, mais vai ter. Veja-se a si mesmo como um puro canal de Luz. O Criador fui através de si. Sorria e envie amor a cada pessoa com que se cruzar. Quanto mais energia receber, mais deixará fluir através de si. Quanto mais deixar ir, mais vai receber. Se se abrir a isso, contribua para este mundo não apenas com o seu intelecto, mas com o seu coração e mãos. Será então capaz de receber mais do que alguma vez sonhou ser possível. Porque o que nos torna ricos não é o tamanho dos tesouros que possuímos, mas o quanto acolhemos amorosamente nos nossos corações. As nossas casas apenas são lares quando nos lembramos de as partilhar com alguém. Assim que fizermos o esforço de construir uma vida de dádiva aos outros, seremos capazes de revelar o Tabernáculo que sempre tivemos dentro.