A Dádiva da Paz | Kabbalah Centre Portugal

A Dádiva da Paz

Il dono della paceMuitos de vocês, que têm sido alunos no Centro desde há muito tempo, deverão lembrar-se de quantas vezes Rav Berg salientou a importância da porção desta semana. Pinchas é um instrumento de cura poderoso que nos foi dado pelo Criador e revelado a nós pelos Kabbalistas.

 

Muitos de vós, que são alunos no Centro desde há muito tempo, deverão lembrar-se de quantas vezes Rav Berg salientou a importância da porção desta semana. Pinchas é um instrumento de cura poderoso que nos foi dado pelo Criador e revelado a nós pelos Kabbalistas.
Calha sempre durante o mês de Caranguejo para nos dar o apoio energético de que precisamos não só depois de a doença atacar, mas antes que esta se manifeste no nosso corpo. Como o Rav insistiu, a energia de cura de Pinchas ataca qualquer doença adormecida que existe dentro de nós, e os próximos 7 dias que levam até à leitura da porção em si ajudam a preparar as fundações para receber o máximo que pudermos deste verdadeiro “laser” de energia de cura.



Como esta oportunidade espiritual vem apenas uma vez por ano, gostaria de pedir algo à nossa comunidade global: podemos juntar-nos numa consciência unificada esta semana; um foco singular proveniente da profundidade da nossa alma, para que possamos enviar esta energia para fora, para toda a humanidade?



Há tanta coisa que pode ser dita sobre a porção da Torah de Pinchas e a sua leitura que decorrerá nos nossos centros em todo o mundo neste sábado de manhã. Está escrito que o que fez de Pinchas um líder, o que o tornou tão único, é que lhe foi dado o dom de Shalom, o que significa paz. Diz-se que a doença começa no coração. Imaginem. Se isto for verdade, e eu acredito que é, quantas doenças poderiam ser eliminadas se pudéssemos curar os nossos corações? O Zohar, na porção de Pinchas, dá-nos um segredo, o de que o melhor remédio preventivo é Shalom, paz interior.


Há tanta coisa que permitimos que entre nos nossos corações e que nos perturba numa base regular, desde questões mundanas como alguém a bloquear-nos no tráfego, até às coisas mais importantes na vida que nem sempre acabam exatamente como esperávamos e tínhamos planeado. Pinchas, no entanto, foi a personificação da paz interior. Ele não foi abalado. Ele não foi desencorajado. Ele não se importava com o que os outros pensavam dele, diziam sobre ele, ou lhe faziam. A sua única preocupação era conectar-se com a Luz do Criador. Foi esse desejo que lhe deu paz de espírito, coração e alma.



Esta semana, vamos empurrar os nossos medos e preocupações para fora da porta; Pois são ilusões que não nos servem. Se houver caos, permaneçamos todavia na certeza de que isto também passará. Vamos encontrar esse lugar dentro de nós mesmos que permite que os outros sejam quem eles são, em vez do que queremos que eles sejam. Em cada respiração, vamos encher-nos com um amor incondicional, e expirar qualquer desconforto que possamos sentir em relação aos outros, e mais importante, em relação a nós mesmos.


Por Karen Berg