Para servir a Luz | Kabbalah Centre Portugal

Para servir a Luz

Esta é uma semana muito importante e significativa, pois é a semana que se segue a Rosh Hashanah e também a semana que nos leva ao feriado de Yom Kippur. Aprendemos que em Rosh Hashanah, o Shofar age como um laser, rasgando as negatividades que fizemos. Isso conduz-nos a um lugar onde nascemos de novo, uma pessoa mudada.

 

Os 10 dias entre Rosh Hashanah e Yom Kipur - o período em que estamos agora - são espiritualmente significativos, pois o júri ainda está reunido. A nossa consciência e as nossas acções durante estes dias irão determinar se o que foi escrito para nós em Rosh Hashanah se manifestará no próximo ano ou se, pelo decurso do nosso comportamento nesses dez dias, conseguimos mostrar que somos um ser mudado e reescrever o nosso destino para melhor.

 

É habitual, quando saímos do cenário de uma festividade tão poderosa como Rosh Hashanah, podermos afundar-nos no nível de energia. Conseguimos ver todas as nossas falhas mais claramente do que nunca! Como pode ser assim? Não devíamos sentir-nos entusiasmados? Isso ocorre porque os momentos difíceis nas nossas vidas, quando sentimos mais tristeza, são os verdadeiros momentos em que estamos sendo testados; e a pergunta em cada teste é a mesma: devemos ser um servo da Luz ou um servo de nós mesmos?

 

Na porção desta semana, Ha'Azinu, é dito que só após uma semente ser lançada à terra e coberta com estrume pode ser tocada pela chuva sendo-lhe assim permitido que atravesse a escuridão e surja na beleza da Luz. O mesmo acontece connosco. Como seres humanos, somos chamados a avançar. É isso que significa ser um servo da Luz, alcançar o Criador mesmo nas trevas. Compartilhar quando nos sentimos no nosso ponto mais baixo. Dar quando sentimos que não temos mais nada para dar. Estar com os outros quando mais nos queremos isolar. Ver o bem quando é preciso muito menos força para reclamar.

 

É certo que podemos não parecer pessoas mudadas. E nós próprios nem nos sentirmos uma pessoa mudada. Mas o mais importante é agirmos nestes dias como uma pessoa mudada; comportarmo-nos como se nos estivéssemos a tornar naquele eu superior que dissemos ao Criador desejar ser; fazê-lo quando estamos no abismo e não quando há muita energia e é fácil fazê-lo. É aí que somos testados na medida exacta do nosso desejo. É então que podemos revelar o tipo de pessoa que queremos ser nos próximos doze meses.

 

Só nós mesmos podemos decidir o que o ano nos trará. Talvez combinando os nossos esforços em estar mais presente, em cuidar mais e estar mais com os outros, possamos inclinar a balança numa direcção mais positiva para nós e para o mundo para o próximo ano.

 

por Karen Berg