Tornar-se uno com a Luz | Kabbalah Centre Portugal

Tornar-se uno com a Luz

Na porção de Tetzaveh, o Criador dá ordens a Moisés, começando com as palavras Ve'ata Tetzaveh, " E tu deves comandar", mas não menciona Moisés pelo nome, usando apenas o termo "tu". Isto é importante porque os cabalistas chamam à atenção para o facto de este ser o único momento na Torah, desde que ele nasceu, em que o nome de Moisés não é mencionado.


O Baal Haturim explica-nos a razão: na altura da queda do bezerro de ouro o Criador quis destruir todos os israelitas, mas Moisés disse ao Criador: "Tens de lhes perdoar e remover o julgamento, se não O fizeres, apaga-me do Teu livro". E apesar do Criador ter aceite o pedido de Moisés e ter perdoado os israelitas, a afirmação "apagai-me do Vosso livro", segundo a explicação do Baal Hatrium, teve como resultado que Moisés não é mencionado na porção de Tetzaveh.
Esta é a razão literal pela qual o nome de Moisés não é mencionado, mas, claro, sabemos que existe uma razão mais profunda para tudo. Então qual é razão mais profunda para a omissão do nome de Moisés na porção de Tetzaveh e qual a correlação com o que aconteceu quando Moisés se sacrificou completamente para salvar todos os israelitas? A resposta, segundo os cabalistas, é que a medida em que podemos promover mudanças e atrair bênçãos infinitas é proporcional ao nível a que conseguimos remover do processo a nossa agenda e motivações pessoais. Que foi o que Moisés fez.


Em última análise, a alma mais elevada, o tzadik, a pessoa justa, é aquela que não faz nada por si própria. A única motivação por detrás das suas ações é a de assistir o outro. Quando Moisés disse ao Criador que ele o poderia apagar do Seu livro, se não removesse o julgamento e negatividade dos israelitas, Moisés estava, na essência, a dizer "eu não tenho outro propósito na vida senão o propósito de dar aos outros". Nesse momento Moisés atingiu um nível de remoção completa do ego e motivação egoísta de qualquer ação que tomou até ao resto da sua vida, tornou-se uno com o Criador.


Porquê? Porque quando removemos completamente o ego, estamos em união com a Luz do Criador, deixando de ser uma entidade separada da Luz. Quando atingimos esse nível podemos trazer qualquer bênção, remover qualquer julgamento e trazer a cura. Por isso podemos ver que a razão pela qual Moisés não é mencionado pelo seu nome nesta porção não é por castigo mas antes, é a maior das recompensas. É a indicação daquilo que Moisés atingiu: ele chegou a um estado em que já não existia como indivíduo, separado. Moisés passou a ser a Luz do Criador e por isso, como explicam os cabalistas, tudo o que Moisés fez durou para sempre, porque ele se separou da sua agenda pessoal e do seu ego por completo.


Esta é a energia que está disponível no Shabat Tetzaveh, podemos pedir a remoção dos nossos desejos pessoais em tudo o que fazemos, de forma a que possamos estar num lugar de já não existirmos separados da Luz. De nos podermos tornar unos com o Criador. E tal como a Luz do Criador pode sarar, assim podemos nós sarar, tal como a Luz do Criador pode trazer bênçãos, assim nós podemos trazer bênçãos. Nesse estado, não há nada que a Luz do Criador possa fazer que nós não possamos fazer também, porque já não somos separados dela. Este é o patamar último que Moisés atingiu neste Shabbat e é a dádiva maravilhosa que podemos pedir. E até ao nível que nós o desejarmos, até ao nível que nós pedirmos ao Criador de nos ajudar a separar-nos de nós próprios e das nossas motivações egoicas, será o nível, o patamar no qual seremos eternos e apenas da Luz.